ruas iluminadas

 
A rua que vemos mais iluminada é da Cota 40, que quando foi construída pretendeu tirar mais os carros do centro da cidade, o que conseguiu. Quanto ao resto é mais um enquadramento da cidade com a sua particularidade geográfica em forma de anfiteatro voltado para o mar.

igreja de Santa Luzia

 
A igreja de Santa Luzia. Foi construída na 1.ª metade do séc.XVIII e tem um espólio de pinturas do séc.XVII e pratas dos sécs.XVII e XVIII.
De caraterísticas barroca e neo-barroca, apresenta planta longitudinal e nave única, com frontispício em empena.
Os retábulos dispõem-se ao lado do arco triunfal e a decoração envolvente é interligada em talha neobarroca bastante tardia.

hotel Quinta das Vistas



 
O hotel Quinta das Vistas proporciona um alcance visual deslumbrante para toda a cidade do Funchal.

entardecer nublado

 
Entardecer nublado com o sol a querer mostrar que ainda anda por ali.

lugares que encantam

 
Um dos muitos espaços do Design Centre Nini Andrade Silva com dois hotéis de 5 estrelas lá atrás, o Belmond Reid's Palace, à direita, e o The Cliff Bay. 

o regresso às origens

 
As quintas madeirenses marcaram o início do turismo organizado na Madeira e, curiosamente, embora não seja propriamente para este conjunto edificada que diferencia a cidade, há como que um retorno pela procura da tranquilidade que as pelas unidades de alojamento local proporcionam.
Ainda é possível ficar hospedado em alguma quinta mas não são muitas. E outras foram simplesmente destruídas. 

o hotel que agrada

 
Esta piscina é da Albergaria Dias, uma unidade hoteleira discreta mas que continua a figurar na lista dos 100 melhores de todo o mundo para o maior operador turístico, a TUI.

o gracioso e o exagerado


À direita pode ver um edifício com história na cidade. Com o topo em forma de triângulo, é o Teatro Municipal Baltazar Dias.
Mais acima, è esquerda, está a Fortaleza de São João Baptista do Pico, um edifício ainda mais antigo e marcante.
Cá em baixo, ao lado do teatro está um empreendimento que nunca deveria ter sido autorizado naquele local, com uma volumetria descomunal. Teve duas fases, sendo a primeira a parte do edifício mais amarelada, ainda por cima sem qualquer piada a nível arquitetónico. Posteriormente criaram uma envolvência à primeira construção com edifícios mais graciosos e que vieram harmonizar o conjunto, é verdade, mas a volumetria adensou-se ainda mais.

hotéis no litoral



Um litoral da cidade repleto de hotéis. Em primeiro plano vemos o cinco estrelas The Cliff Bay. Segue-se, um pouco encoberto, sendo mais percetível a plataforma junto ao mar onde tem piscina e acesso ao mar, o hotel Vidamar Madeira. O edifício redondo é o Pestana Palms. E depois ainda temos Madeira Regency Cliff e o Pestana LTI Grand.

a igreja de São Martinho

 
Uma perspetiva diferente da igreja de São Martinho lá ao fundo. A estrada que vemos é a via rápida.

a proa do Mein Schiff 4

 
Uma vista de proa do navio de cruzeiros da Tui Cruises, o Mein Schiff 4. À esquerda podemos ver ainda parte da cidade.

encanto ao entardecer

 
Um entardecer com um sol de encantar na cidade do Funchal.

bilhete postal

 
 Que dizer desta fotografia? Além da evidência das flores, vemos edifícios de adegas de vinhos, a chaminé da antiga fábrica do Torreão e, lá em cima, o Monte.

a estátua da Sissi

 
A estátua da Sissi, é uma das mais fotografadas da cidade. No entanto, para vê-la depois convenientemente é preciso ter algum cuidado no enquadramento e na luz para conseguir evidenciá-la e não ficar escura.

parabéns lindo Rodrigo pelos 12 anos

o navio no estaleiro...

 
Periodicamente, os navios têm de ir ao estaleiro. No caso do Celebrity Eclipse isso não foi exceção. Foi varado em São Lázaro...
... é claro que estou a brincar. Aliás, acredito que já tinha percebido. Fiz um enquadramento para dar este efeito quando o navio estava a sair de mais escala no Porto do Funchal. A grua ali está, realmente, para levantar barcos do mar, mas com pesos bem menores que os deste paquete majestoso.

uma fotografia com muitos valores arquitetónicos

 
Esta fotografia mostra muitos valores arquitetónicos da cidade. Vejo a igreja do Colégio, a torre da Câmara Municipal do Funchal, a igreja e o Convento de Santa Clara, a Fortaleza de São João do Pico, o hotel Quinta das Vistas, o Pico dos Barcelos...

um carro de linhas antigas na atualidade

 
Uma perspetiva diferente de um carro de linhas antigas que estava estacionada abaixo da minha casa. Neste caso, encontrava-se junto ao Convento de Santa Clara e aguardava que terminasse o casamento dos noivos na igreja de Santa Clara. 

o paquete de linhas elegantes

 
Saída do Funchal de um navio que me encanta pela elegância que a sua arquitetura evidencia. É um paquete gracioso que vem à Madeira com alguma regularidade. Refiro-me ao Britannia da P&O Cruises.

maresia que encanta

 
Uma manhã com maresia na Praia Formosa. Um cenário que não me recordava de ter visto antes, sobretudo com aquela luz.

torres da cidade

 
Diria que sobressai nesta fotografia o número de torres que apresenta.
Em primeiro plano vemos a torre da igreja do Colégio. À esquerda, temos a torre da Câmara Municipal do Funchal. E, entre ambas, a torre do edifício das Finanças, na esquina entre a Rua 31 de janeiro e o Largo do Phelps.

composição harmoniosa

 
Parece um postal, com uma harmonia entre o navio de cruzeiros AIDAsol atracado no Terminal Norte, a sua sobra no mar, e o incomparável anfiteatro da cidade do Funchal.

uma casa no meio do nada

 
Uma casa abandonada na cidade. Deparei-me com este cenário há poucas semanas, quando fazia um percurso a pé, entre uma vereda que existe entre a Travessa do Moinho e a Rua do Ninho. Não encontrei vivalma e interroguei-me porque fizeram aquela ponte vistosa azul sobre a via rápida. Até para chegar lá, a ligação impressiona e deixa-nos desconfiados.
Certamente será utilizada, mas naquele dia não vi ninguém. Era uma vereda fantasma.
Mas deixando isso de parte, proporciona vistas como estas.

quintas floridas

 
Quintas muito floridas na Rua Dr. Barreto. O que a fotografia documenta dispensa muitos comentários.

a rua das quintas

 
A Ladeira da Casa Branca é uma rua estreita e com grande inclinação onde apenas se faz circulação no sentido descendente. Carateriza-se pela grande presença de quintas madeirenses de um lado e outro.

a esplanada com vistas privilegiadas

 
Esta esplanada terá uma das melhores vistas para o Porto do Funchal, como se pode comprovar com estes três navios de cruzeiro quase a entrar pela esplanada dentro. E tem igualmente uma vista soberba para o imenso anfiteatro da cidade. É uma das valência do Design Centre Nini Andrade Silva, que fica em pleno porto, num ilhéu com muita história.

a quinta sem vida







 
Há dias passei na rua que fica acima desta quinta abandonada, paredes meias com a Quinta Magnólia, no Funchal, que aqui mostro em dois planos diferentes.
Olhei demoradamente para aqueles espaços sem tecto que parecem ter sido levados pelo tempo e por incêndio.
Imaginei o dia em que recebeu as primeiras pessoas e a alegria que tiveram.
E imaginei a vida que a casa já terá conhecido naquelas diferentes divisões.
Mas, inevitavelmente, fiquei triste por voltar a perceber que tudo é efémero.

The Ritz é um café com muitas histórias

 

The Ritz. A história deste espaço tem origem no início do século XX. Aí por 1904/1905, Christian Ritz, um empresário norte-americano, de Nova Iorque, com ascendência da Suíça, que conheceu a Madeira por acaso, acabou por fixar residência na ilha e abriu com um parceiro um pequeno café no Funchal. Chamou-o Ritz.
Em 1910, este comerciante têxtil de sucesso, que fazia negócios entre a Europa e os EUA, e que casou com uma madeirense, que se chamava Clara, mudou o Ritz para as instalações atuais instalações.
O Ritz era um café charmoso para a sociedade, com danças e chá da tarde, onde os empresários se encontravam.
Depois de alguns anos, Christian e Clara tiveram que deixar a Madeira para lidar com seus assuntos familiares em Nova Iorque e Filadélfia.
O Ritz continuou a existir em muitas formas, desde um café da alta sociedade até um stand de vendas para carros, e ainda como sede da ACIF - Câmara de Comércio e Indústria da Madeira. Por isso, durante dezenas e dezenas de anos o Ritz deixou de existir ao ponto de quase ninguém saber que ali tinha sido um café famoso do princípio do século.
Entretanto, aquele espaço e um prédio vizinho sofreram um incêndio. Depois de recuperado sobretudo o telhado que tinha sido mais afetado, os serviços que ali estavam mudaram para outros lugares. Ficou à espera de oportunidades. Até que no início da década de 10 do século XXI, o Ritz Madeira reabriu no espaço onde esteve a Toyota e a ACIF.
Os novos proprietários garantiram que o edifício fosse restaurado desde as bases até a decoração interior. Todos os acessórios originais permaneceram intactos.
Hoje, o Ritz é considerado por muitos como um dos edifícios mais majestosos da Avenida Arriaga, que rasga o coração da cidade do Funchal..
Os famosos azulejos antigos azuis e brancos contam histórias da ilha, dos navegadores aos agricultores, dançarinos tradicionais, turistas e comerciantes que a visitaram.
No andar de cima, encontra-se um grande espelho dourado ornamentado, que viajou desde o Castelo de Cardiff até o Ritz na Madeira.