o regresso da nau


Mais uma viagem concluída pela Nau Santa Maria, aqui a navegar junto à Zona Velha da cidade, em concreto do Forte de São Tiago.

dragoeiros centenários


Dragoeiros no núcleo das Neves. Constituem um notável grupo de dragoeiros centenários.
Não existem registos conhecidos sobre a origem exata destes exemplares mas os especialistas admitem que o mais provável é que se tenham desenvolvido a partir de uns viveiros ali existentes em tempos idos.  

misturas


Misturas. É isso mesmo que esta fotografia evidencia. Em primeiro plano, o hotel Pestana Casino Park, e, a seguir, um navio de cruzeiros atracado no Terminal norte do Porto do Fnchal

texturas na Praia formosa


Não, não é a lua, é a Praia Formosa.

recordar os paquetes no porto


Num mês onde apenas atracou um navio de cruzeiros no Porto do Funchal, que não é o desta fotografia, nada melhor do recordar uma das muitas escalas do Seven Seas Explorer realizada nos meses anteriores.

o ícone que dá horas


A torre da Sé do Funchal será, certamente, o principal ícone da cidade e talvez até da própria ilha da Madeira

México iluminou o Funchal sábado à noite


O espetáculo piromusical do Festival do Atlântico contou ontem com a participação do México. Este é um dos quadros que o fogo-de-artifício proporcionou ao longo da longo da noite onde se fez sentir algum vento, que se nota na fotografia.

um rooftp no coração da cidade


Um rooftop com vista privilegiada na cidade, no Sé Boutique Hotel.

ondas no hotel


Esta é das tais fotografias que não se devem fazer muitas referências para não desviar a atenção. Apenas referir que foi captada no hotel Royal Savoy.

a Praia Formosa


A Praia Formosa aqui vista numa altura em que não tinha a funcionar um dos restaurantes. Por isso, estes guarda-sóis estão sem mesas nem cadeiras.

enchente para ver Portugal

Enchente hoje no Largo da Restauração e passeio central da Avenida Arriaga, neste dia especial no Campeonato do Mundo de Futebol, que decorre na Rússia. Portugal jogou contra o vizinho do norte de África, Marrocos. Um golo cedo do madeirense e funchalense Cristiano Ronaldo fazia adivinhar uma vitória fácil. No entanto, foi um sufoco até o apito final do árbitro, que, ainda por cima deu 5 minutos de desconto, com a equipa africana a dar um baile de bola. Valeu o resultado de 1-0 favorável a Portugal, que passa a ter 4 pontos na prova.

A cidade em flôr



navios esquisitos...


Há navios muito estranhos como este que esteve há umas semanas na Madeira.
Evidentemente que estou a ironizar. O que esta fotografia mostra é uma mistura saudável entre o navio de cruzeiros AIDAprima, atracado no Porto do Funchal e, na base, vemos parte do edifício da Gare Marítima da Madeira.

África do Sul surpreende no 2.º dia do espetáculo piromusical


Ontem foi o 2.º dia do espetáculo piromusical do Festival do Atlântico 2018, com o fogo-de-artifício lançado pela surpreendente África do Sul.

relax a bordo



Relax durante a escala do navio de cruzeiros AIDAluna no Porto do Funchal. Há que contemplar a cidade que se estende do mar às montanhas lá no alto, até onde a vista alcança.

a praia que continua a ser formosa


A Praia Formosa tem conseguido resistir às investidas do homem que tanto tem sabido preservar a cidade e a ilha como igualmente estragar o que de bom e autêntico existe.

encanto na Rua das Pretas



A Rua das Pretas tem um nome que ofusca o encanto que consegue oferecer a quem passa através dos inúmeros edifícios antigos, muitos fechados com a sua história, sem vida. Outros renasceram com outra alma mas mantiveram o corpo que os molda há décadas. A rua mantém a traça desde 1560.
E, depois, lá no topo da rua, temos a igreja de São Pedro, que aqui podemos ver ao centro da fotografia.
E porque escrevo que a rua tem um nome que não a prestigia? Pois, uma das leituras que reúne mais consensos em relação à origem do nome é que ali, naquelas magníficas casas, viviam famílias abastadas que tinham ao ser serviço empregadas negras. Enfim...

Áustria ilumina o céu no Festival do Atlântico



O dia 9 de junho assinalou o 1.º espetáculo pirotécnico inserido no Festival do Atlântico 2018 na cidade do Funchal. A produção esteve a cargo da Áustria que ao longo de 20 minutos apresentou um fogo-de-artificio consistente, mas que não surpreendeu.

















belezas ímpares da cidade


A cidade do Funchal pode ser apreciada de muitos ângulos, que proporcionam belezas ímpares.

um rooftop com cinema


O rooftop do Sé Boutique Hotel tem programado para este verão sessões de cinema ar livre.

árvore na Praia Formosa


Árvore em terra, na Praia Formosa, talvez trazida um dia pelo mar...

porto em movimento



Dia movimentado no Porto do Funchal. Há muito que este quadro não se repete, sobretudo neste mês onde só está prevista a escala de um navio de cruzeiros no próximo dia 12, em concreto do Independence of the Seas.

a fotografia encantada


Esta fotografia ficou brilhante. Em primeiro lugar pela luz. E, depois, por aquele topo da montanha pintado com árvores que brilham com o sol e que, ao mesmo tempo, deixam passar a luz.
Mas o que já seria encantado ficou ainda mais enobrecido com aquela lua matinal a leste da cidade.
E, pois, é verdade, há mais a preencher esta maravilha, o avião que passa lá no alto, sobre a lua, e que deixa um rasto do seu curso...

a tampa ausente



Uma tampa de adufa ausente permite ao espaço ganhar vida e cor.

o Liceu de Jaime Moniz


Há anos que o edifício que sobressai nesta fotografia se chama Escola Secundária Jaime Moniz. No entanto, vai continuar a ser para muitos, onde me incluo, o Liceu de Jaime Moniz. Aliás, ainda ostenta essa designação na entrada principal, o que não deixa de ser curioso.

a banheira sobre a relva


Um dia destes vi esta banheira antiga sobre a relva no Colégio dos Jesuítas, ao subir a Rua do Castanheiro. Desconheço o propósito, mas a verdade é que deixou algumas pessoas a se interrogarem acerca daquele quadro.

a escultura da vida

 
Hoje é um dia como outro do ano, no qual, como em todos, milhares de pessoas fazem anos.
Esta obra, feita de pedras na Praia Formosa, pode evidenciar o acumular dos anos numa união que procura cimentar a vida o mais longe possível. O esqueleto está pronto, embora sempre possa ser reforçado na base para dar ainda mais consistência.
Depois é ir preenchendo com mais pedras até que o tempo não desmorone o que a nossa sede de viver procura prolongar em cada momento.

velejar é preciso

 
Numa cidade com tanto mar, as atividades náuticas são uma constante todos os dias.

a ladeira das quintas

 
A Ladeira da Casa Branca é única na cidade. Íngreme e ladeada de quintas madeirenses.

uma vista para ver sem pressa