há sempre encanto na quinta madeirense

 
Com linhas pouco variadas temos aqui mais um exemplo de uma quinta madeirense, rodeada de flores e muito verde.

riquezas arquitetónicas da Zona Velha

 
Este conjunto edificado da cidade do Funchal sobressai na Zona Velha da cidade. De uma forma sintética, vemos o edifício de um amarelo intenso, o Forte de São Tiago. Logo acima está a torre da igreja do Socorro. Um pouco à sua esquerda encontra-se o hotel Quinta Bela de São Tiago. E, mais abaixo, ao lado do forte, surge o hotel Porto Santa Maria.

a fortaleza adormecida

 
A Fortaleza de São João Baptista do Pico constitui um dos valores mais altos do património edificado da cidade do Funchal e mesmo de toda a ilha da Madeira.

a Sé e a serra

 
Vemos aqui três vertentes, e até quatro, se formos mais perspicazes. Em primeiro lugar sobressai a torre da Sé do Funchal, aqui a marcar 12.35 horas. Em segundo lugar vemos o nome Restaurante Caravela, hoje desativado, situado no topo de uma construção emblemática da cidade o Edifício Chorão Ramalho, propriedade da empresa João de Freitas Martins, e lá ao fundo a serra, pincelada aqui e ali com algumas aves.

uma manhã na Praia Formosa

 
Esta mais uma imagem acerca da qual não se deve escrever muito. Apenas referir que foi registada na Praia Formosa.

um quadro do Funchal

 
A fotografia não é de hoje, antes de um dia numa semana qualquer. Importa a reter a beleza que presenteia a cidade um porto cheio de navios de cruzeiro, vistos aqui a partir da Praça do Povo, um nome que, convenhamos, não foi muito feliz, mais adequado a regime totalitário de um país de leste ou asiático.

um miradouro com vistas privilegiadas

 
A árvore no topo indica o Pico dos Barcelos, um dos pontos turísticos mais relevantes da cidade do Funchal devido à vista soberba que proporciona para a capital da ilha da Madeira. Diria que estamos a ver a parte posterior do miradouro.
À esquerda vemos um grande empreendimento imobiliário, com habitações particulares.

as noites com navios têm outro encanto

 
O navio de cruzeiros Mein Schiff 4, atracado no Porto do Funchal. Este paquete da TUI Cruises tem pautado esta estação de inverno com as suas escalas regulares caraterizadas por ficar duas noites na Madeira, proporcionado imagens belas como esta.
À direita da imagem podemos ver ainda o topo do hotel The Vine.

a graciosidade da ave na torre da igreja

 
Esta ave, que penso ser um milhafre, ou andará lá por perto, foi captada na torre da igreja de Santa Clara. Mais uma vez, tal como em outras ocasiões, parece estar a olhar para mim, o que até pode ser, mas estava um pouco distante para poder sentir e ver a minha presença. De qualquer forma, entre mim e a ave não havia obstáculos.
A fotografia mostra a graciosidade da ave. E evidencia ainda mais, o estado daquela pedra que se degrada continuamente e ainda o que parecem ser dois pregos que não se percebe bem o que fazem ali. Se a intenção seria segurar algum fio que pretendesse impedir precisamente o pouso de aves há muito que essa artimanha foi pelos ares e não está a cumprir a sua função há muitos e muitos anos pois sempre vi animais voadores, sobretudo desta família, a fazer daquele ponto um local de descanso e talvez de controlo.

o Astoria de muitas histórias

 
O navio chega silenciosamente ao Funchal para mais uma escala no porto. É o Astoria, um paquete com muitas histórias, como a de ter abalroado um navio em Nova Iorque e o ter afundado. Está no Registo Internacional de Navios da Madeira, que integra o Centro Internacional de Negócios da Madeira. Por essa razão, tem o nome Madeira escrito na popa e navega com a bandeira de Portugal.

o lado B do Porto do Funchal

 
Uma parte menos visível no dia a dia da cidade do Funchal, referente ao lado posterior do porto, com os tetrápodes que protegem o molhe nos dias de maior fúria do mar. No molhe vemos a Gare Marítima da Madeira.

uma quinta madeirense



 
Uma quinta madeirense, rodeada de imenso verde. Esta casa, em concreto, fica localizada em São João, na Rua Nova de São João, uma artéria da cidade sem saída.

o edifício Funchal Centrum

 
O edifício Funchal Centrum surgiu no lugar de outros com muitos anos e histórias. É verdade que foi mais uma machada no património construído que a mim custa muito ser destruído.
Seja como for, contrariamente a toda a polémica que surgiu em redor do novo empreendimento, que tem um centro comercial, apartamentos e escritórios, e ainda um hotel premiado internacionalmente, o The Vine, com muitas vozes a criticarem, eu não vejo mal algum, antes um edifício harmonioso.

as linhas dos telhados

 
Estes edifícios em São João já foram tanta coisa. Ou melhor, a sua utilização já serviu para muitos fins. Mas fiz esta fotografia não por essa razão e sim pelas linhas dos telhados. Achei interessante.

a esplanada com vistas para o Funchal

 
Uma esplanada flutuante com vista para a cidade do Funchal. É isso mesmo que aquela parte posterior do navio AIDAsol proporciona aos seus passageiros para retemperarem depois de visitarem a cidade e a ilha.
As grandes e frondosas árvores que vemos atrás, assim como aquela casinha de prazeres muito mal aproveitada, fazem parte da Quinta Vigia, onde está o presidente do Governo Regional.

os gigantes eficazes

 
 Apesar da grandeza do navio de cruzeiros Mein Schiff 4, a manobrabilidade é espantosa, conforme se pode ver nesta fotografia, com o barco dos Pilotos a aguardar que o piloto faça o seu trabalho nesta manobra de saída e regresse ao porto.

o Queen Mary 2 não deixa ninguém indiferente

O navio de cruzeiros Queen Mary 2 voltou ontem à Madeira, onde já não vinha há cerca de um ano. Agora vai seguir-se uma longa ausência do Porto do Funchal. Só a 14 de abril de 2010 regressa à ilha que foi o primeiro porto do seu cruzeiro inaugural.
A presença do navio-almirante da Cunard, lançado à água em 2004, não deixa ninguém indiferente. 

um presépio natural

 
A fotografia noturna mostra o hotel Monte Carlo, com as suas letras vermelhas em cima do velho edifício. Mas mostra também parte do anfiteatro da cidade que aqui parece um presépio de Natal.

o verde e as flores

 
 Na cidade do Funchal, em quase todo o lado há a preocupação de ter muito verde e bonitas flores nos jardins. Muitas vezes são ótimas barreiras para tapar utilidades inestéticas como estes ares condicionados.

um postal do último dia de 2017

Esta fotografia foi registada na manhã do dia 31 de dezembro de 2017. Mostra a cidade do Funchal de uma perspetiva diferente e igualmente seis dos 10 navios de cruzeiro que estiveram na capital da ilha da Madeira a proporcionar a passageiros e tripulantes verem a partir do mar o fogo-de-artifício tão conhecido por esse mundo fora. Curiosamente, o paquete que se vê em primeiro plano, o Columbus, está hoje atracado no Porto do Funchal.
Os três barcos que vemos alinhados, ao largo da baía, são três areeiros, que constituíram alguns dos muitos pontos de lançamento do fogo-de-artifício.

um largo abandonado

 
O Largo do Pelourinho está votado ao esquecimento. Com recuperações pontuais, ainda tem muito para fazer naquele espaço que parece ter sido abandonado. No entanto, estas edificações que aqui vemos, a pedir uma intervenção urgente, se é verdade que apresentam uma má imagem e enquadram-se no que referi, admito que acabem por ser uma consequência daquele deserto.

Jardim Botânico é um pulmão da cidade

 

O Jardim Botânico está pouco definido nesta fotografia. Diria, para facilitar, que a mancha verde que surge em primeiro plano. É o mais icónico da ilha da Madeira, com um jardim que cobre uma área de 80.000 m² e que alberga uma fascinante coleção de espécies de muitas plantas, e uma zona de pesquisa e conservação.
Está localizado na Quinta do Bom Sucesso, datada de 1881 pela família Reid, que criou o jardim como o seu parque privativo. Hoje, a propriedade é aberta ao público.
Além disso, proporciona uma vista soberba para a cidade do Funchal.

o edifício que deverá receber um novo hotel

 

Este edifício era uma antiga unidade industrial. Está desativada há muitos anos. Foi adquirida recentemente por um empresário da construção que decidiu apostar mais forte na hotelaria. Por isso mesmo, tudo se conjuga para que venha a ser um novo hotel de cidade, com uma localização privilegiada, a dois passos do centro, da avenida marginal, da Zona Velha e de um dos principais ícones da cidade e da ilha que é o Mercado dos Lavradores.

uma manhã encantada

 

A Pontinha, no Porto do Funchal, com uma luz e um dia de encantar. Apesar de não existirem navios de cruzeiro no porto, o que é sempre um vazio, esta fotografia captada a partir do navio Lobo Marinho, numa das suas inúmeras viagens de ida-e-volta ao Porto Santo, tem um grande encanto igualmente pelas cores do conjunto enquadrado.

a quinta do Paço Episcopal

 
O que aqui vemos é uma quinta madeirense, a do Paço Episcopal, onde está o bispo do Funchal, D. António Carrilho.
Em primeiro plano, sem contar com esta construção recente com ar condicionado escondido no topo, temos ainda, onde vêem o que parecem ser palmeiras ou algo semelhante, o cemitério dos ingleses. Curiosamente, este edifício mais moderno é do que poderemos dizer sinteticamente, de um concorrente da igreja católica.

o lado oposto

 
 Admito que poucas pessoas saberão responder à localização desta fotografia. Talvez também não soubesse embora a cor pudesse revelar alguma ponta que me levasse a uma resposta certeira. E a razão do que penso ser a dificuldade prende-se com o lado menos conhecido do edifício. Estou a referir-me à Casa Museu Frederico de Freitas, aqui vista do Miradouro das Cruzes, com grande aproximação.

partir com estilo


O navio de cruzeiros Celebrity Eclipse é uma presença com uma regularidade espaçada no Porto do Funchal. Sobressai pelas suas linhas esbeltas.
Aqui podemos ver uma saída da capital madeirense com o normal alisar de águas depois de fazer uma volta à direita de quase 90 graus. É espantosa a evolução tecnológica dos navios de hoje.
A passar na popa do paquete da Celebity Cruises está um barco pneumático, que regressa à marina depois de mais uma viagem para ver cetáceos.

vistas para a cidade



Este enquadramento foi registado no Caminho das Courelas, a estrada que liga o cruzamento da Chamorra a São Roque. Permite ver um Funchal muito verde com o seu imenso casario. À direita, com as duas torres a "tocarem" no mar, temos a igreja de Santo António.

o forte amarelo



Pormenor do Forte de São Tiago, localizado na zona velha da cidade. Sobressai pelo seu amarelo vivo que combina com a pedra que o define.

Desertas próximas do Garajau

 

Um dia claro a permitir ver as ilhas Desertas muito próximas. Até parece que estão ali mesmo atrás do Garajau.

flores para o novo ano que começa

 
Flores para o novo ano que começa.
Hoje é dia de desejos e de promessas. Seja como for, devemos sempre ser comedidos no idealizamos, traçando metas sucessivamente alcançáveis. Uma grande caminhada só tem sucesso se dermos um passo de cada vez para lá chegarmos.