noite de Halloween... Ooooooh



Hoje é a noite de Halloween, um costume do mundo anglófono que chegou até nós e interferiu com o no nosso Pão por Deus, mais vivido no dia 1 de novembro, o
. Hoje os dois momentos interligam-se na data mas continuam a ser diferentes nos objetivos.

a casinha de prazeres da Quinta da Bela Vista



A casa que vemos integra o hotel Quinta da Bela Vista, uma unidade hoteleira que faz jus ao seu nome. É uma casinha de prazeres, muito típica nas quintas madeirenses, que tem como uma das suas utilidades proporcionar os prazeres da vista que dali se alcança.
Além da vista privilegiada para a cidade e da qualidade, o hotel tem arrecadado muitos prémios por tudo isto e pela excelência do serviço.

a recuperação do edifício adormecido



Este edifício que se pode ver à esquerda está hoje a ser intervencionado. Durante muitos e muitos anos intrigou a razão do seu autêntico abandono devido à sua arquitetura mas, sobretudo, pela localização privilegiada, sobre o mar, ali mesmo atrás de um dos miradouros da zona da Barreirinha, em Santa Maria Maior. Felizmente estão a manter a matriz.

O Independence of the Seas e o resistente Astoria



Interessante registo de dois navios de cruzeiro que se cruzam no Porto Funchal. Atracado, o imponente Independence of the Seas, que, quando foi lançado em 2008 era o maior navio de cruzeiros do mundo, a par dos gémeos Freedom of the Seas (2006) e Liberty of the Seas (2007). Hoje estão quase a fugir da lista do top 10 dos maiores do mundo.
No plano intermédio entre o navio da Royal Caribbean e o casario da cidade, vemos um paquete com muita história. É o resistente da Portucasle Cruises, mas que está fretado pela Cruise & Martime Voyages. Era o Azores antes de ser fretado.
Este navio tem a particularidade de estar no Registo Internacional de Navios da Madeira, pelo que tem bandeira portuguesa na popa e escrito o nome Madeira, sob o nome Astoria, igualmente na parte posterior do navio.
Além disso, no seu longo currículo, este paquete lançado em 1948 tem a particularidade de, em 1965, com o nome de Stockholm, perante um grande nevoeiro em Nova Iorque, ter colidido com o navio Andrea Doria, resultando no afundamento deste último.

a árvore das flores que encantam



Esta árvore tem flores rosa que encantam. A sua cor torna-a visível mesmo de pontos distantes, que não é este caso, em que a fotografia foi enquadrada de cima de prédio, no Socorro, em Santa Maria Maior. Se repararmos bem, ao lado direito da árvore está uma porta, que parece improvisada. Entre essa porta e o prédio da frente passa a Rua Bela de São Tiago.

luz retemperadora sobre a cidade



A cidade do Funchal vista de uma outra perspetiva, obtida a partir do Estádio do Marítimo.
A fotografia mostra também a ponta do Garajau e, lá ao fundo, estão as ilhas Desertas, as tais que um jornalista, a partir deste mesmo estádio, dizia, erradamente, serem o Porto Santo.

palmeiras junto a um edifício histórico



Poderia ser noutro lugar como Cabo Verde, São Tomé e Príncipe ou no Brasil, pelo conjunto de palmeiras enfileiradas. Mas não é em outro lugar e sim no Funchal. São palmeiras nos jardins do Seminário Diocesano do Funchal, pertencente à igreja. Este edifício histórico da cidade era o Hotel Bela Vista, também conhecido por Jone's Hotel Bela Vista.
Chegou a ser chamado igualmente por Falkener's Private Hotel, um nome que figurava em 1885 no guia de Paul Langerhans.
Ao fundo vemos a Gare Marítima da Madeira.

Semana Regional das Artes encanta a cidade



O que mostro nesta fotografia não faz parte da paisagem da cidade. Resulta de atividades artísticas de escolas da Madeira. Todos os anos, os alunos criam arte e expõem no passeio central da Avenida Arriaga. Integram a Semana Regional das Artes e está na rua em junho, quando o ano letivo se aproxima de mais um final.

a Casa-Museu Frederico de Freitas



Uma abordagem diferente da Casa-Museu Frederico de Freitas, o edifício em tons avermelhados

a escritora e o poeta madeirense




Há algum tempo coloquei uma fotografia onde mostrava o escritor José Saramago. Hoje mostro nesta foto que registei no mesmo dia, no passeio central da Avenida Arriaga, em primeiro plano, o madeirense Herberto Hélder, um poeta português, nascido na Madeira, considerado o maior poeta português da segunda metade do século XX (pai do jornalista Daniel Oliveira) e a escritor Agustina Bessa-Luís.

1 fotografia 3 concelhos



O que vê em primeiro plano, com cores mais vivas, é a ponta do Garajau, que pertence a Santa Cruz, o concelho que ladeia a cidade do Funchal a leste. No entanto o que está lá adiante, a meio da fotografia, já é a capital da ilha da Madeira, que aqui surge desde a Ponta da Cruz até a baixa da cidade e a freguesia de São Martinho, mais alta.
Mas esta fotografia ainda mostra mais. Sobre esta língua de terra que é o Funchal vemos o concelho seguinte, o de Câmara de Lobos, com o icónico Cabo Girão lá no alto.

Sirena deixa o Funchal serenamente



O navio de cruzeiros Sirena acaba de deixar o Porto do Funchal e navega para leste num mar tranquilo. A fotografia foi registada na esplanada do Barreirinha Bar Café, um espaço aprazível na zona da Barreirinha, no final da Rua de Santa Maria.

um hotel com grandes vistas



No cimo deste imenso casario está o hotel Quinta das Vistas, que tem uma vista soberba para a cidade. O hotel foi inaugurado em maio de 2002 e erguido onde antes estava uma quinta, do dr. Américo Durão. Curiosamente, apesar da unidade hoteleira de 5 estrelas ter sido feito pelo grupo de João Rodrigues, acabou por ser vendida ao atual proprietário, que também se chama Américo, mas com o sobrenome Gonçalves.
Dispõe de áreas comuns espaçosas e bem decoradas, vistosos terraços panorâmicos e cerca de 12 m2 de jardins centenários, com fontes, um lago com cisnes, um pavilhão e um mini campo de golfe com 9 buracos.
Tem 71 quartos em três pisos, incluindo 3 suites júnior, 4 suítes e uma suite presidencial.

reflexos no Porto do Funchal


Tirei esta fotografia ontem de manhã. Poderiam ser mais dois navios de cruzeiro atracados no porto, que se encontram no Funchal. Mas o que me fez registar esta imagem foi porque me apercebi do reflexo do AIDAsol nos vidros do Mein Shiff 4. Isso é percetível e até a linha diagonal da frente do navio da Aida Cruises pode ver-se bem abaixo da chaminé do paquete da Tui Cruises.

mestria do piloto madeirense João Silva



O Rali Vinho Madeira é a principal prova automobilística do arquipélago. A corrida deste ano decorreu no princípio de agosto. Apesar das limitações financeiras conseguiu reunir um leque valioso de pilotos onde se evidenciaram alguns madeirenses. A prova de 2017 acabaria por ser ganha por um piloto madeirense, Alexandre Camacho. Em segundo lugar ficou o italiano Giandomnico Basso, que já venceu o Vinho Madeira várias vezes, e, em terceiro, ficou outro piloto madeirense, João Silva, que podemos ver na fotografia em plena primeira classificativa na Avenida do Mar e das Comunidades Madeirenses. Este jovem piloto conta com a apoio incondicional do pai, o empresário António Silva, que patrocina a equipa através da sua empresa FX Hotelaria.

o Lobo Marinho com o Funchal em fundo



O navio Lobo Marinho parte em mais uma viagem diária entre a ilha da Madeira e a do Porto Santo. Desde que entrou em operação, a linha, com este ferry oferece uma viagem extremamente confortável entre as duas ilhas, com a duração de aproximadamente 2.15 horas.

quintas madeirenses entre o verde e as flores



Felizmente ainda existem quintas madeirenses como estas preservadas e que conseguem harmonizar o seu valor arquitetónico com o imenso verde e as flores que as rodeiam.

árvores no telhado



Árvores no telhado. É isso mesmo que a fotografia mostra sobre esta zona de serviços de uns apartamentos em São João. Por sinal, o pouco contacto com grandes quantidades de terra não é impeditivo de aparentarem estar bem viçosas.

torre da Sé rejuvenescida



A torre da Sé do Funchal foi recuperada. É bem visível o resultado dos trabalhos que se prolongaram por vários meses. No entanto, se o conjunto edificado parece ter ficado bem cuidado, os ponteiros do relógio dos mostradores que a fotografia documenta não estão sincronizados, embora neste registo isso seja impercetível.

um hotel com vista para a cidade



A fotografia dispensa muitas palavras porque está tudo no que a máquina captou, o nome do hotel impressa no vidro do quarto e a vista magnífica que o FourViews Baía oferece para a cidade.

flores que encantam



É verdade, a cidade do Funchal tem muita construção, seja para a habitação coletiva, para o comércio ou para escritórios. Mas a verdade é que ainda existem muitas quintas como estas na Rua Nova de São João, onde se pode ver muito verde e buganvílias exuberantes.

cores que encantam



Uma perspetiva diferente da cidade, vista de um lugar que ninguém quer visitar. A fotografia foi obtida na parte frontal do Hospital dos Marmeleiros que definha a cada dia e que dizem acelerar partidas para quem tem a infelicidade de lá ir parar.
A alegria que vemos neste dia de sol e cores encantadas contrasta com o momento que havia presenciado momentos antes da passagem para o desconhecido de uma pessoa amiga que as agruras da vida terão acelerado a viagem que ninguém quer fazer.
Seja como for, gosto deste registo de uma flor selvagem, com espinhos bem perto e com a cidade baixa lá ao fundo, onde ainda se vê o navio Lobo Marinho que regressa de mais uma viagem ao Porto Santo.

Europa 2 deixa o porto com reflexos e mar calmo



Mais um navio parte em sossego do Porto do Funchal. Trata-se do moderno Europa 2 da Hapag-Lloyd, que zarpa num mar muito calmo e com um grande reflexo nas águas que se alisam com a sua passagem.

relíquias do Funchal



A fotografia mostra, em primeiro plano, o Convento de Santa Clara. Mas revela igualmente outras relíquias da cidade como a torre amarela do Instituto do Vinho, do Bordado e do Artesanato da Madeira, e, um pouco à sua esquerda, para trás, a parte frontal da Escola Secundária Francisco Franco.

contrastes na cidade



Recentemente coloquei aqui uma fotografia onde evidenciava unicamente a casa que mostro aqui à direita. Hoje apresento uma outra, moderna, que tira partido da localização privilegiada do local que referi no post anterior. A comparação entre as duas casas resulta num grande contraste em toda a linha.

um luar madrugador sobre a cidade


Fiz esta fotografia bem cedo esta 5.ª feira. Conciliei um luar de encantar com uma noite sem nuvens e com o céu todo estrelado. O dia não tardaria a nascer enquanto no Porto do Funchal o navio de cruzeiros Mein Schiff 4, que chegara no final do dia anterior, ajudava a compor este bonito quadro da cidade do Funchal visto de leste para oeste.

uma casa no fundo



Com as novas estradas, como a saída da Cota 40, que as circundam, e a Rua de São João, feitas há muitos anos em redor, estas casas acabaram por ficar num fundo. Evidenciam algum desgaste.

a elegante Estátua da Autonomia



A Estátua da Autonomia é uma das que mais gosto no Funchal. Localizada presentemente na Praça da Autonomia, começou por estar fora da capital da ilha, junto a uma das cabeceiras do Aeroporto da Madeira, em Santa Cruz. O seu braço quase parecia tocar nos aviões que aterravam. Ali foi colocada no dia 1 de julho de 1987, o Dia da Região Autónoma da Madeira.
Pouco tempo depois, em maio de 1990, o Governo Regional decidiu transferir esta obra-prima de Ricardo Veloza para o local onde ainda hoje se encontra. No entanto, em 2012 foi retirada para que pudessem fazer as obras nas fozes das duas ribeiras que antes chegavam ao mar separadas: a de João Gomes e a de Santa Luzia. Só voltaria à praça dois anos depois, em setembro de 2014, depois de ter estado em “retiro”, deitada, no Parque de Máquinas da Cancela.

A estátua carateriza-se por ser esculpida em bronze e placas de betão. Representa uma mulher que irrompe, simbolizando a autonomia do arquipélago arrancada a ferros.

Cajú é um novo hotel na cidade



Neste conjunto edificado da cidade sobressai, pela arquitetura recente, uma construção onde está localizado o novo hotel Cajú, na Rua da Carreira.

aqui poderá surgir o Savoy Pelourinho



Conjunto de edifícios no Largo do Pelourinho. Evidencia-se o da Insular, adquirido recentemente por Avelino Farinha. Admite-se que o empresário venha a construir naquele amplo espaço um hotel de cidade com muito charme. A ser seguido este caminho será um Savoy, atendendo aos três hotéis que já tem com essa marca e mais um que está em construção, o Savoy Palace. Talvez o Savoy Pelourinho.

quinta tomada pelos anos



Esta quinta está abandonada, como, aliás, se advinha rapidamente ao olhar para a casa e para os arredores. Se não é abandonada no sentido literal da palavra direi então que se encontra menos cuidada.
Tem uma localização privilegiada numa área de terreno no alto entre a Estrada de São João, em baixo, e a Rua São João Velez Caroço, na parte superior, na qual ainda se conseguem ver alguns automóveis.